Arquivos de Remessa e Retorno

Criada por Flávio Oliveira, Modificado em Sat, 19 Oct 2019 na (o) 02:25 PM por Flávio Oliveira

Na prática, o arquivo remessa de cobrança é processado através de um arquivo com a extensão .REM, já o de recepção de uma liquidação de boletos em lote vêm com a extensão .RET (retorno). Esse formato permite que dados sejam compilados em lote para que sejam lidos através de uma aplicação única. Em outras palavras, esses arquivos juntam diversos dados diferentes, como por exemplo a geração de boletos diversos. Um software gera um lote contendo os arquivos em grupo. Os bancos recebem esse lote e geram individualmente os débitos (no caso do débito em conta) e os boletos no caso de cobranças bancárias. A maioria dos bancos fornece um padrão para que os arquivos de remessa e retorno sejam lidos por bancos, os mais comuns são o CNAB400 e o CNAB240.

CNAB - Centro Nacional de Automação Bancária


A sigla CNAB representa “Centro Nacional de Automação Bancária”. Você já imaginou como as informações financeiras podem ser transmitidas da sua empresa para o banco ou vice-versa? É para isso que o CNAB existe.
O CNAB é um tipo de arquivo em formato texto utilizado para manter uma frente de comunicação entre clientes e bancos. Através do CNAB são trocadas informações relativas a pagamento, cobrança, débito em conta, custódia de cheques, entre outros.

Envio e recebimento dos arquivos


Existem várias maneiras pelas quais estes arquivos são enviados ou recebidos. A principal delas é através do site do próprio banco. Os sites de banco são de alta segurança, o que garante a privacidade das informações trocadas.

Remessa e Retorno


Essa é uma nomenclatura comum usada para os arquivos CNAB. Quando o cliente (sua empresa) envia um arquivo para o banco, esse é chamado de “remessa”. Quando o banco envia um arquivo para o cliente, esse é chamado de “retorno”. Quando falamos de informações financeiras, segurança é primordial. Por isso, o arquivo CNAB não deve ser compactado.

Boas práticas para o dia a dia


Recomenda-se que logo pela manhã, sua primeira atividade seja BAIXAR OS RETORNOS do site do banco e PROCESSA-LOS NO SISTEMA, para que sejam baixados e conciliados os boletos pagos no dia anterior, visto que o banco realiza esta conciliação na virada do dia.

Durante o dia, serão emitidos vários boletos, e então, no FINAL DO DIA, você irá GERAR A REMESSA (realizado pelo sistema) e ENVIAR (utilizando o site do banco).

Conclusão


Entenda que o seu SISTEMA não está ONLINE com o banco, o banco só fica "sabendo" dos boletos que emitiu através do arquivo REMESSA enviado a ele, então, enquanto você não enviar o arquivo remessa a ele, você pode emitir, imprimir, alterar e descartar tranquilamente, e, no final do dia, enviar suas operações definitivas ao banco. Depois que a remessa é enviada, o boleto é REGISTRADO AO BANCO, sendo que a partir daí, toda modificação deste título deve ser feito direto pela plataforma do banco.

E para atualizar seu sistema, dos boletos que foram pagos, registrados ou não registrados, utiliza o então ARQUIVO DE RETORNO, baixado pela plataforma do banco e importado eu seu sistema ERP.


Este artigo foi útil?

Que bom!

Obrigado pelo seu feedback

Desculpe! Não conseguimos ajudar você

Obrigado pelo seu feedback

Podemos ajudar com algumas dicas para melhorar este artigo!

Selecione pelo menos um dos motivos

Feedback enviado

Agradecemos seu esforço e tentaremos corrigir o artigo